TECNOLOGIA

Seis eletrônicos antigos que ainda são usados em 2019

800px-alphadual

Tamagotchis, fitas cassete, pagers e aparelhos de fax marcaram uma geração no Brasil. Apesar do uso em massa entre os anos 80 e 2000, alguns desses eletrônicos ‘retrô’ acabaram caindo no esquecimento. A evolução da tecnologia trouxe ao usuário opções mais modernas para alguns eletrônicos que eram sucesso há alguns anos. Mas, ainda assim, alguns destes aparelhos resistiram ao tempo e seguem em uso até os dias de hoje.

Pager
Os Pagers já deixaram de operar há muitos anos na maior parte do mundo, já que as mensagens SMS conseguiram rapidamente aposentar os aparelhos, que eram conhecidos no Brasil como bipes.

Como funcionam?

Os pagers utilizavam frequências de rádio para transmissão de dados. No Brasil, o aparelho ganhou o apelido de “bipe”, por conta do som característico que o dispositivo emitia sempre que recebia uma mensagem. Para usá-lo, era preciso ligar para uma central, onde um operador digitaria o texto a ser enviado para o número informado.

Uso em 2019

No Japão, o serviço ainda está disponível em algumas operadoras, mas o número de usuários é bem limitado. Na Inglaterra, médicos do sistema público de saúde ainda recebem alertas por meio dos pequenos pagers, mas o suporte aos aparelhos deve ser encerrado em 2021.

Fax
O fax foi um equipamento que se popularizou no país, principalmente em escritórios e repartições públicas, já que sua principal funcionalidade era enviar documentos de texto por meio de conexão telefônica.

Como funcionam?

Num mundo sem Internet, o fax era capaz de digitalizar documentos de texto e transmiti-los por uma linha dedicada para outro fax, para que o documento fosse impresso pelo equipamento receptor. Era necessária uma linha de fax e, quando a conexão estava sendo realizada, havia um ruído similar ao dos modens dial up.

Uso em 2019

Os aparelhos de fax sempre estiveram presentes em repartições públicas e escritórios, e o seu uso continua até hoje. Mesmo com a possibilidade de envio de e-mails com documentos digitalizados, algumas áreas ainda usam o fax como maneira mais simples de trocar informações.

Tamagotchis
Os bichinhos virtuais, de tempos em tempos, ganham uma versão repaginada que mantém a principal funcionalidade do dispositivo: ele permite que o usuário cuide de um pequeno animal digital.

Como funcionam?

O Tamagotchi ou bichinho virtual é um mini game, que tem como no objetivo criar um mascote virtual. Para mantê-lo vivo, o usuário precisa alimentar, cuidar e até mesmo ninar seu bichinho. O dispositivo normalmente não conta com mais de três botões e, na maioria dos casos, dispõe de uma pequena tela monocromática.

Uso em 2019

Os tamagotchis não são tão populares quanto eram no início dos anos 90 e também não são mais acessíveis da maneira que eram antigamente. Hoje existem versões mais modernas dos Tamagotchis, com conectividade Bluetooth e telas coloridas, mas elas ainda não conseguiram se popularizar.

Tamagotchi: Animal de estimação virtual que virou febre nos anos 90

Fitas cassete
Em plena era do streaming, é difícil imaginar quem ainda tenha um mini system ou mesmo toca fitas no carro, mas mesmo assim, de acordo com informações de fabricantes, as fitas cassete continuam tendo um número de vendas relevante.

Como funcionam?

As fitas utilizam uma fita magnética para gravar as informações, o que permitiu que o recurso de gravação ficasse muito popular em aparelhos domésticos décadas atrás. Desta forma, o usuário conseguia criar suas próprias fitas, com suas músicas prediletas. Cada fita personalizada tinha uma playlist determinada que, trazendo para os dias de hoje, se assemelha aos métodos usados pelos principais programas de streaming de música, Spotify, Deezer e Amazon Music, por exemplo. As fitas cassete também podiam ser usadas para registros de voz, com o auxílio de gravadores.

Uso em 2019

O uso da fita cassete atualmente se restringe ao público que ainda procura gravar suas músicas favoritas em fitas. Este grupo mais restrito, fã do áudio analógico, preferem escutar suas músicas com um som mais rústico. Porém, encontrar fitas virgens não é uma tarefa fácil: com o boom da Internet e de aplicativos de música, o mercado de fitas diminuiu consideravelmente no país.

Vitrolas
Sucesso nas décadas de 70 e 80, as vitrolas também estão aparecendo cada vez mais no mercado de eletrônicos. Os dispositivos passaram por uma atualização, que acrescentou outras funcionalidades ao aparelho. Mas o design original do eletrônico foi preservado e, mesmo os aparelhos mais modernos, ainda contam com a agulha de reprodução que também estava presente nos modelos originais.

Como funcionam?

Os discos de vinil passavam pelo processo de prensagem, eram grandes e dependiam de um equipamento relativamente grande para reprodução. O usuário precisava posicionar a agulha corretamente para conseguir reproduzir suas músicas e procurar não fazer o equipamento trepidar, já que a agulha era muito sensível. Não era possível voltar ou avançar as faixas automaticamente, já que todo o processo era manual.

Uso em 2019

Diversas fabricantes oferecem vitrolas modernas, que combinam a capacidade de reproduzir discos de vinil com entradas USB e conectividade Bluetooth, que funcionam também para reprodução de arquivos MP3 ou em outros formatos. Os discos voltaram a ser prensados e aparecem como mais uma opção para colecionadores, por exemplo.

Secretária eletrônica
As secretárias eletrônicas nada mais eram do que hoje são as caixas postais de telefones móveis, mas funcionavam em linhas de telefones fixos, sem a necessidade de contratar o serviço junto a operadora.

Como funcionam?

Os equipamentos permitiam que saudações fossem gravadas. Desta forma, quando o usuário recebia uma ligação que era direcionada para a secretária eletrônica, a saudação era reproduzida e, após o sinal, uma mensagem poderia ser gravada. Os recados gravados ficavam armazenados no dispositivo, podendo ser acessados a qualquer tempo e apagados da memória do equipamento assim que visualizados.

Uso em 2019

Esses equipamentos eram majoritariamente utilizados em consultórios ou escritórios. Apesar da funcionalidade que hoje é comum, os aparelhos eram considerados equipamentos caros. Hoje em dia, as secretárias eletrônicas ainda resistem em alguns estabelecimentos com alta demanda de chamadas, mas o público geral não utiliza mais o equipamento.

techtudo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp