TECNOLOGIA

Astrônomos descobrem primeiro planeta gigante em torno de estrela anã

20191205090043_1200_675_-_planeta_gigante_evaporando (1)

Pela primeira vez, astrônomos descobriram um planeta gigante circulando em torno de uma estrela anã branca, que possui apenas um quarto de seu tamanho. O astro é muito parecido com Netuno e está a cerca de 1,5 mil anos-luz da Terra, na Constelação de Câncer. Além disso, ao que tudo indica, ele parece estar “evaporando”.

A descoberta foi feita por cientistas da Alemanha, Chile e Reino Unido do Observatório Europeu do Sul (ESO) e foi publicada na Revista Nature. Sua semelhança com Netuno ocorre pelos níveis de hidrogênio, oxigênio e enxofre no disco gasoso. Em outras palavras, este planeta libera uma fumaça silenciosa, mas mortal e com péssimo cheiro em todo sistema solar. Além de possuir mais do que o dobro do tamanho da estrela anã, sua órbita dura 10 dias e tem uma velocidade de 10 milhões km/h.

Acredita-se que ele faça parte de um sistema composto pela anã branca WDJ0914+1914, o que restou de uma estrela parecida com o nosso Sol. Apesar de “pequena”, os cientistas estimam que ela possui temperaturas impressionantes, que chegam a 28 mil ºC o que corresponde a quase cinco vezes a de nossa estrela.

A “pequena” estrela exerce uma força minguante sobre o astro e, durante o processo, retira aos poucos sua atmosfera e gira um disco de gás ao redor. Isso resulta na “evaporação” visível nas imagens capturadas pelo Observatório Europeu do Sul (ESO) e acontece porque a anã branca libera prótons de alta energia, o que influência na atmosfera do planeta.

O planeta foi encontrado com o Very Large Telescope (VLT) da ESO. No entanto, antes de localizá-lo, foram analisadas as variações na luz da estrela, que aparentou vestígios de hidrogênio, oxigênio e enxofre. Uma vez que esses gases não pertenciam a ela, mas ao planeta, a composição desse disco foi analisada e mostrou-se parecida com a atmosfera de Netuno.

Essa descoberta pode dar luz aos cientistas na questão da composição de outros planetas fora de nosso sistema solar.

olhardigital.com.br

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp