TECNOLOGIA

Confira a mudança que a Netflix acabou para os assinantes do Brasil

netflix-ciencia-de-dados-1024x576

Um dos diferenciais da Netflix, que é o período de testes de 30 dias grátis para novos assinantes, acabou – ao menos no Brasil. A gigante do streaming não está mais oferecendo o primeiro mês de graça para os brasileiros que assinam o serviço pela primeira vez.

O período de teste, inclusive, foi retirado do FAQ no nosso país, mas ele ainda consta no documento para usuários americanos – e, lá, diz agora que “a duração do período de testes grátis pode variar de acordo com a região”.

A iniciativa faz parte de um processo que começou em 2019, já que o período de testes grátis não era oferecido na Espanha e no resto da América Latina desde março passado. Agora, junto com o Brasil, a opção foi descontinuada em Portugal.

O Filmmelier entrou em contato com a Netflix no Brasil para entender o motivo das mudanças. A empresa confirmou o fim do período gratuito e, por meio de nota, informou que “estamos buscando novas formas de atrair novos assinantes e promover nosso serviço no Brasil, oferecendo uma ótima experiência com a Netflix”.

No ano passado, por exemplo, a plataforma ofereceu como degustação a não assinantes brasileiros a oportunidade de assistir ao longa animado ‘Klaus‘ por algumas semanas. No momento, com o mote do Valentine’s Day, a Netflix está fazendo o mesmo nos EUA com ‘Para Todos os Garotos Que Já Amei‘. Uma estratégia que lembra a da TV paga, que sempre apostou na abertura do sinal de canais por tempo limitado (principalmente na época de grandes lançamentos).

O serviço também passou a trazer um upgrade grátis de um mês quando o novo usuário escolhe os planos Básico ou Padrão, podendo degustar, respectivamente, as opções Padrão e Premium por 30 dias.

O custo, claro, continua lá: você tem o desconto apenas da diferença entre os planos.

Resta saber, agora, se essa medida terá algum impacto no crescimento do serviço de streaming no nosso país. De acordo com o último balanço divulgado pela empresa, eram 31,4 milhões de assinantes na América Latina em 31 de dezembro. Já a receita na região no último quarto do ano foi de US$ 746 milhões (mais de R$ 3,1 bilhões).

clickpb

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp